quinta-feira, 26 de março de 2015

Minha viagem para Bonito/MS



Quem me acompanha sabe que na semana passada fui passar uns dias numa *mini-férias* em Bonito, no Mato Grosso do Sul. A cidade é conhecida pela sua beleza (derp) e pelos passeios de ecoturismo. Tem pra todos os gostos. Quem gosta de coisas mais radicais tem rapel e mergulho de profundidade. Quem gosta de passeio mais tranqs pode fazer a flutuação, o boia cross, trilha, visitas nas fazendas, grutas... Não fizemos todos os passeios que gostaríamos pois alguns fecham durante o verão, por causa das chuvas. Com a chuva, alguns ambientes "alagam" e a água fica muito turva. Vale lembrar que Bonito também é conhecida por suas águas cristalinas. A água tem muito calcário, tornando-a praticamente transparente. Ou seja: dá pra gravar peixinhos debaixo d'água!!


O que mais me impressionou foi o cuidado com a preservação da natureza. Nos passeios de flutuação não era permitido pisar no fundo dos rios, pegar em plantas, peixes nem modificar o ambiente de alguma forma. Isso não torna o passeio chato, muito pelo contrário, você acaba se sentindo parte de tudo aquilo de uma forma bastante profunda. A maioria dos passeios tem esse negócio do contemplativo, por mais que tenha aquela adrenalina de nadar em cachoeiras, descer de tirolesa, etc. E essa é uma vibe que fica em você por um bom tempo (ainda não saiu de mim). Lá tudo era diferente da minha vida em São Paulo: era calma, suave, contemplativa, em contato com a natureza. Percebi o quanto isso faz falta...



Ficamos no Hi Hostel, que é um albergue. Ao contrário do que ouvimos falar por aí, esse hostel (que faz parte de uma rede internacional de hostels) era bem arrumadinho, seguro, limpo, funcional. Eles tem políticas bem específicas para evitar a #zoeira e coisas do tipo. Então você encontrava lá gente de todo tipo: jovem, idoso, criança, família, e principalmente: gringos! Não sei se é porque a Europa num geral tem essa cultura do hostel, algo que o brasileiro não tem e ainda por cima vê com muito mal olhos. Então a gente viu muito mais gringo que brasileiro por lá, o que foi muito legal! Porque a gente conseguiu treinar um pouco o inglês e conhecer pessoas bem diferentes. O veredicto? Além de ser muito mais barato que um hotel comum, o ambiente do hostel é muito mais familiar e te deixa mais a vontade, como se você estivesse em casa mesmo. E convenhamos, isso torna a experiência de viajar muito mais relaxante, você sabe que pode contar com o pessoal de lá, todos os funcionários estão a disposição pra te ajudar como puder. Ah, e é claro que isso vale pra quem não tem medo de perder algumas "mordomias" como frigobar, serviço de quarto e louça lavada.




Agora vamos falar da comida?! Gente, sério, não teve uma vez só durante essa viagem que eu tenha comido uma comida ruim, nem mesmo nos restaurantes de beira de estrada que a gente parou entre o caminho de Campo Grande e Bonito! Tudo era sempre muito saboroso, e até mesmo eu que não sou chegada a peixe, comi uma Tilápia ao molho de Urucum que arrisco dizer ter sido o melhor peixe que já comi na vida! xD E nos passeios para as fazendas também tinha almoço típico da região, feito no fogão a lenha, ou seja: MORRA DE COMER. Devo ter engordado 2kg durante essa viagem mas #noregrets.

COMO CHEGAMOS EM BONITO?

Existe um vôo direto para o aeroporto de Bonito, mas são apenas 2 vôos por semana (!!!) pela Azul, e a maioria já está lotado, por isso: sem chance. Pegamos um vôo da TAM de São Paulo para Campo Grande, a capital do Mato Grosso do Sul, e de lá pegamos um transfer (van) para Bonito. A viagem de avião demora 1h30 e o transfer demora cerca de 4h30 com parada pra almoço.

ONDE FICAMOS?

Como eu disse, ficamos no Hi Hostel, que é uma rede internacional e muito bem recomendada. Lá dentro do Hostel tem uma agência própria, onde você pode agendar seus passeios no dia anterior, o que é muito melhor que fechar os pacotes antes da viagem! Sério, isso faz toda a diferença, principalmente quando você viaja na baixa temporada, que é fácil agendar passeios de um dia pro outro. Por que isso é melhor que fechar aquele pacotão antes da viagem? Você tem liberdade pra escolher os dias e quais passeios quer fazer. As vezes chove muito, e você acaba perdendo algum passeio por causa disso, mas aí ele já está pago, e aí? Aí você sai perdendo, porque eles não vão te reembolsar. A gente gostou muito desse esquema de agendar um dia antes porque nos deu mais flexibilidade pra conhecer também outros lugares da cidade, sem ter que ficar seguindo um programão pré-agendado #fikdik.

COMO FUNCIONAM OS PASSEIOS E O TRANSFER?

Cada passeio custa de R$50 a R$180 dependendo do tipo e duração. O transfer para chegar no local dos passeios é pago a parte e custa em média R$40 por pessoa. Parece um pouco caro, mas no nosso caso, como ficamos no hostel, nós gastamos mais com os passeios que com a estadia, então valeu a pena. E os passeios mais longos (e mais caros) já tem almoço incluso. Aí vejo vantagem rss.

QUE PASSEIOS RECOMENDO?



Flutuação no Rio do Prata
Simplesmente a melhor flutuação, ela dura cerca de 2h30 com um guia pra te ajudar caso você não saiba nadar. Mesmo se você tem medo de água ou não saiba nadar, não deixe de fazer esse passeio, ele é beeem seguro! Você vai vestido com aquela roupa de neoprene, que já te faz flutuar e ainda usa um colete salva-vidas por cima. Não tem como afundar MESMO.
Ps. a água é beeeem gelada! Eu saí com a boca roxa e os dedos dormentes, mas valeu cada segundo dentro da água e a visão do fundo de um rio, com muitos peixinhos coloridos numa visão 100% cristalina é impagável! (depois agradeça à roupa de neoprene por não te deixar morrer de hipotermia hahaha)




Fazenda Rio do Peixe
Esse passeio começa com uma trilha para 7 cachoeiras, uma mais linda que a outra. A maioria das cachoeiras tem água rasa, mas algumas não, então se você não tem confiança pra nadar onde não dá pé (tipo eu hehe) você pode alugar um colete e ser feliz! A água é geladinha mas quando você entra é uma delícia. As cachoeiras fazem tipo uma massagem na cabeça e ombro, dando aquelas propriedades curativas, sabe? Bem legal. Depois tem o almoço dos deuses, porque sério, a melhor comida de Bonito, apenas. A gente ficou na rede de perna pro ar e depois deu comida pra uma arara, fez carinho numa anta, etc... hahaha. Vale lembrar que todos esses animais vivem soltos! Nenhum deles vive em cativeiro nem nada do tipo (vejam a parte 5 do vlog).

Balneário Municipal
Esse é pra aquele dia que você tá bem cansado dos passeios dos dias anteriores e quer ficar de boa. Você paga R$25 e pode ficar a vontade no balneário. Dá pra alugar snorkel e colete pra ficar nadando na água, vendo peixes, etc. O dia que fomos a água estava bem turva, mas em dias sem chuva, a água é super cristalina.

Gruta do Lago Azul e Lagoa Misteriosa são dois passeios que a gente queria fazer mas que estavam fechados pelas chuvas =((

E agora confiram os vlogs que gravei durante a viagem! Se tiverem ainda alguma dúvida, deixem nos comentários x)












Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Adorei sua viagem para Bonito, obrigado pelas dicas. Sempre encontro pacotes para Bonito em agenciasucuri.com.br

    ResponderExcluir