quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Uma mensagem ao infinito



Deus,

O que puseste em meu caminho que valesse a pena lembrar a vida inteira? De tantas pessoas que cruzaram meu caminho, quais deveriam ter ficado para sempre? E ficariam para sempre? O passado pertence ao passado, mas as memórias seguem vivas. E se o futuro não nos pertence ainda, o que nos pertence para chamarmos de “nosso”? Como é bom descobrir que somos inesquecíveis, mesmo que isso nada signifique... Como é bom ser lembrado, mesmo que pela pessoa errada. Então por que choro nas tardes frias de céu escuro? O que devo esperar de mim, se olho e não me vejo. Tem dias que acordo sorrindo, porque não tenho mais o que fazer. Um sorriso sem querer... por dentro tão vazio. Eles me chamaram de otimista, mas onde? Eles disseram que eu era forte, mas em que? Eu não escrevo mais como antes, nem desenho como antes... não sou como antes, isto é bom ou ruim? Não vivo mais dentro do mesmo mundo, e ao mesmo tempo queria de volta a ingenuidade ampla, a paixão, aquele sentimento que nos tornava mais vivos. 



[um texto antigo meu que encontrei nos meus arquivos, acho que é de 2008, mas ainda diz muito sobre o que eu sinto...]
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Lindo nossa
    ironicamente (ou nem tanto) fiquei na cabeça enquanto lia
    aqueles desenhos com novas técnicas de aquarela que postou outro dia (que parecem constelações)
    e alias combinaram bem na minha imaginação rs
    Sucesso !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jeffrey, obrigada pelo comentário! Agora que vc comentou, realmente combina... tenho usado fotos minhas pra ilustrar meus posts mas vou tentar usar mais desenhos tbm ;)

      Excluir