quarta-feira, 1 de julho de 2015

Sobre ser quadrinista

Assim que decidi fazer quadrinhos eu já sabia o que me esperava. Não sabia?

Passei quase 4 anos desenhando o Vidas Imperfeitas, o que me pareceu um tempo curto e longo, ao mesmo tempo. Eu acho que eu não tinha muito mais o que fazer da vida. Só estudava e fazia estágio E ainda me impressiono com essa capacidade de acordar as 6 da manhã, ir pra aula, ir pro estágio, e ainda desenhar um quadrinho. Sério, onde foi parar minha força de vontade?

Devaneios a parte.

O que quero dizer é que apesar de eu achar que estava preparada pra um novo quadrinho, hoje me pergunto: eu estava realmente?! Isso quer dizer horas e horas de completa dedicação e 60 páginas pra terminar num prazo ousado, mas tudo bem, sabe, porque eu tinha um objetivo. Agora acho que tudo se perdeu no tempo e no espaço; na minha vida. Achei que esse quadrinho seria prioridade mas a cada dia que passa minhas prioridades passam a ser outras. E eu não sei se isso é algum tipo de auto-sabotagem do tipo "isso dá muito trabalho - faça coisas com um retorno mais imediato!" << isso é meu subconsciente trabalhando. Só sei que tá foda.

É sério. Fazer quadrinhos é um negócio extremamente solitário, mesmo pra mim, que tenha um dark side. Não posso negar, eu gosto de um pouco de solidão (algumas pessoas dizem que eu "gosto de curtir uma deprê") mas pra tudo existe um limite.

Eu tenho medo de falhar. Eu tenho medo de desistir. Eu tenho medo de nunca conseguir terminar o que comecei, porque isso já aconteceu TANTAS vezes. Eu não posso parar agora, sabe? Mas às vezes me pergunto se, apesar de querer muito terminar as coisas no prazo que estava prevendo, eu deveria parar de me pressionar e simplesmente fazer tudo ao meu tempo.

Então, na maior parte do tempo, fico vivendo esse dilema interno, lutando contra mim mesma e contra o tempo ao invés de estar produzindo. E é claro, me pergunto o tempo todo se eu deveria estar fazendo isso. Eu sou assim tão feliz fazendo isso quanto eu gostaria de ser? É isso mesmo que eu quero?

Talvez amanhã eu faça mais uma página, talvez não.

Ficaremos com o benefício da dúvida.