quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Porque a internet está me deixando doente



Neste momento, faltam exatas 6 páginas a serem desenhadas do Black Silence para finalmente terminar o quadrinho. E cá estava eu pensando sobre todas as coisas que andam me fazendo mal nos últimos tempos. Já faz alguns meses que comecei a sentir muito forte uma crise que estava muito ligada à internet. Primeiro, alguns casos de cópia e plágio que eu nunca me senti confortável pra falar abertamente, apesar de já ter tocado no assunto antes por aqui. Eu nunca falei sobre isso porque acredito que certos assuntos rendem mais se a gente transformá-lo em algo produtivo, sem contar que às vezes isso dá ainda mais ibope pros "infratores". E se você me perguntar porque nunca denunciei e toda essa parada, eu sinceramente não sei responder, acho que eu não queria comprar essa briga. E na época parecia satisfatório lidar com isso criando uma certa onda de conscientização.

Devo dizer que, apesar de estar de certa forma tentando superar a situação, a verdade é que aquilo tudo estava deixando muitas marcas. Comecei a sentir que nada que eu produzia parecia ser bom o suficiente, sempre "parecia com alguma coisa" que já existia na internet, e as constantes comparações e comentários escrotos não ajudam. Veja bem, eu recebo muito comentário legal, positivo, construtivo. Se for pra botar na balança, eles são sempre a maioria. Mas o problema mesmo é o poder de destruição dos comentários negativos, e eles aumentam todos os dias. Eu achei que depois de anos desde a publicação dos meus primeiros quadrinhos, eu já estaria acostumada com tudo isso, mas parece que tudo hoje tem um efeito diferente sobre mim, um efeito tóxico.

A internet, ou melhor, as redes sociais se tornaram aos poucos tóxicas pra mim, pessoal e profissionalmente. Eu já não me sento mais feliz fazendo coisas que antes me faziam feliz. Eu já não estou mais vendo sentido em muita coisa que antes parecia ser tão certo pra mim. E mesmo assim, continuei fazendo o que fazia, sempre com aquela sensação estranha de que tinha algo errado, mas eu não tinha tempo pra pensar sobre isso ou descobrir o porque aquilo estava acontecendo. Eu apenas segui a maré.

Eu estava trabalhando excessivamente. Fazia semanas que eu não tinha um final de semana livre. E eu não vou reclamar, em época de crise e instabilidade, isso é ótimo principalmente pra um freela. Mas ninguém é de ferro e eu comecei a ficar muito exausta. A campanha do Catarse ainda estava rolando, e aquele estresse todo, devo dizer, começou a me deixar maluca. Era muita coisa ao mesmo tempo, o medo do fracasso e a responsabilidade dos meus freelas diários... eu precisava fazer alguma coisa. Assim que a campanha terminou, e eu tinha um quadrinho pra finalizar, parecia o momento certo.

Comecei a me desligar aos poucos, começando por desligar todas as notificações que ficavam pipocando o tempo todo, depois parei de responder comentários com a mesma frequência (hoje eu tiro algumas horas por semana pra fazer isso, sempre com um critério). Parecia um gesto simples, mas que fez MUITA diferença no meu cotidiano. Não foi uma decisão fácil, pois como freela meu trabalho depende da internet e de fazer divulgação.

Então eu simplesmente parei de entrar no facebook e rolar pela TL. Ninguém merece todo aquele chorume diário, e aquela sensação recorrente de que a vida de todo mundo é melhor que a sua. Atualizo o Instagram as vezes, na esperança de que este pequeno contato com meus seguidores me traga algo de bom. Decidi me focar no Youtube até me dar conta que nem mesmo o Youtube "minha última esperança" parecia estar funcionando bem pra mim. Tudo parece uma grande competição pra ver quem tem mais seguidores, mais visualizações, quem é melhor e mais legal e mais tudo. Pode ser que seja só eu, mas é isso o que eu sinto agora. O que antes me fazia feliz, que era produzir conteúdo pra ajudar as pessoas, que EU SEI o quanto é importante pra mim e pras pessoas, não, nem isso... As coisas pararam de fazer sentido pra mim, e isso é um tanto quanto desesperador.

Não sei quando exatamente isso aconteceu, mas sei onde começou a ficar claro pra mim. E eu estou cansada, não quero mais continuar fazendo as coisas do jeito que fazia mesmo porque nem forças eu tenho pra continuar. Muita coisa mudou, eu me afastei de tudo isso, e hoje consigo respirar um pouco mais aliviada, mas ainda me sinto triste pelo vazio estranho que se instalou no lugar das minhas antigas aspirações. E eu tenho visto mais pessoas, a maioria também produtores de conteúdo, que se sentem do mesmo jeito. É como se algo na internet tivesse morrido. E agora sinto essa necessidade de me reconectar com "o mundo real", os encontros com pessoas reais, família, amigos, tudo que de fato importa e é essencial.

Eu sei que é preciso aprender a usar a internet de forma sadia, mas eu ainda não sei exatamente o que isso quer dizer, ou qual o caminho. Eu ainda amo o que eu criei, meu canal que cresceu tanto, e todas as pessoas que ajudaram a tornar meus sonhos realidade. Eu sou eternamente grata a isso. O problema é que esta é apenas a ponta do iceberg, e eu me sinto numa armadilha, pois muitas vezes quero me distanciar por completo, mas existe uma força, um medo que me mantém refém da internet. Não importa o que eu faça ou pra onde vá, a internet é como uma sombra me dizendo que, sem ela, eu nem sequer exista.


Comentários
31 Comentários

31 comentários:

  1. Força Mary, não imagino nem metade do que possa estar a passar, mas espero que consiga arrumar forças para se sentir melhor e viver como lhe prover mais feliz. Cumprimentos Portugueses. ****

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mari! Q foda isso. Tb sinto um bocado dessas sensações q vc disse com relação a internet... Há uns meses (no auge da polarização política q foi algo q me sugou mto nas redes sociais) percebi eu tinha q mudar minha estratégia de trabalho e trazer ele mais pro mundo real. Dá mesmo medo e a sensação de que sem a internet não seremos ninguém... mas sei lá. Tem tanta gte talentosa e q trabalha em projetos mto legais e nem tem tantos seguidores. Claro q a internet é uma ferramenta poderosa... mas antes vem a gte se sentir bem, eu acho. A gte q é freela tem q cuidar na nossa sanidade. Bjo! Espero q vc encontre um caminho q faça mais sentido pra vc. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eu sei que existe vida "fora da internet" mas pensando bem a minha vida toda tem sido a internet. Foi por causa dela que consegui chegar tão longe. Talvez eu ainda sinta que devo algo a ela, ou pras pessoas, e isso me mantém um pouco presa. Mas você está certo, é preciso cuidar da nossa sanidade primeiro e o resto a gente dá um jeito!! =)

      Excluir
  3. Olá Mary! Compartilho de um sentimento parecido com o seu no que diz respeito a Internet, principalmente por conta do blog que eu tento manter, que ultimamente na maior parte do tempo eu não sinto vontade nem de olhar as estatísticas. Digo isso porque sei que produzo um conteúdo minimamente de qualidade, mas sei que o que dá ibope é porcaria, é essa competição louca por likes no Facebook e parcerias falsas. Eu e a Internet nunca me demos bem, acho que porque eu também não sou uma pessoa "popular", amigável ou mesmo "política" por onde passo, e talvez por isso eu não saiba como fazer um social na Internet, então, acabo me sentindo isolado, e ao mesmo com desgosto de saber que tenho centenas de amigos no Facebook mas me desconectei (vulgo unfollow) de quase todos. A Internet é uma máscara, e eu não sei usa-la, acho que é bem essa a verdade, mas ao mesmo tempo, é difícil ficar longe dela. O seu trabalho é algo único, diferente, e principalmente algo que entendo que você faz primeiro pensando no que você acha dele, e não o que os outros vão achar. Se for isso, continue em frente sempre. Eu sei que ser "egoísta" com seu próprio trabalho não é a melhor forma de conquistar fans e dinheiros, mas é isso ou transformar os seus sonhos ou seus gostos em algo que talvez fuja daquilo que você realmente deseja. Um abraço, Gusta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na internet popularidade não é sinônimo de qualidade, o que pode servir de consolo, mesmo sabendo que na prática as coisas são bem mais difíceis. As vezes vc encontra o jeito certo de "fazer social na internet" mas pode ser q isso custe muito caro, nem sempre é um preço q vc está disposto a pagar, ou simplesmente vc se esgota no caminho. Agora sempre vi isso tudo como uma via de mão dupla, vc está certo que faço arte primeiro pra mim, caso contrário não seria genuíno. Não consigo "oferecer" pras pessoas algo que não seja meu, seria mentira, e mesmo que as pessoas não soubessem disso, eu saberia. Alguns sofrimentos vem pra gente repensar o que faz e como faz, o que é bom, porque a vida é movimento!

      Excluir
  4. Não desista, não importa o que aconteça não desista, às vezes a caminhada parece ser impossível, dura, às vezes as coisa parecem que só andam para trás, mas você é forte, seus quadrinhos me inspiram muito, não sou um quadrinista nem sequer profissional na área, To tentando começar ainda mas, grande parte desse vontade foi nos seus quadrinhos, sua vontade me inspirou e tenho certeza de que vários outros, então, não desista, não deixe que fracassados te derrubem, encare isso como mais um degrau a ser subido para seu sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela força, mesmo! Sei que não vou desistir, é tudo questão de encontrar um novo caminho, um novo jeito de fazer as coisas e quem sabe, reencontrar um sentido pra tudo isso que venho sentindo ;)

      Excluir
  5. Mary, você não deve nada a ninguém.
    Você trabalhou duro, com muito capricho, muita garra, muito talento.
    A internet só está te dando de volta toda a beleza que você deu a ela.
    Seja feliz, faça a vida leve, não carrege nas costas um peso que não existe.
    Paixão e coração em primeiro lugar.
    O avatar seu na internet não te define.
    Apenas a Mary, ser humano, pode fazer isso.
    A internet não é sua sombra. Você é a sombra da internet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, você não sabe o poder das suas palavras, quase chorei aqui. Mas calma! Foi de emoção... muito obrigada mesmo!

      Excluir
  6. Mary, você não deve nada a ninguém.
    Você trabalhou duro, com muito capricho, muita garra, muito talento.
    A internet só está te dando de volta toda a beleza que você deu a ela.
    Seja feliz, faça a vida leve, não carrege nas costas um peso que não existe.
    Paixão e coração em primeiro lugar.
    O avatar seu na internet não te define.
    Apenas a Mary, ser humano, pode fazer isso.
    A internet não é sua sombra. Você é a sombra da internet.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Mary, vc disse mta coisa que eu tbm ando pensando e sentindo. Escrevendo isso vc falou por mim tbm. Parabens pela coragem e pelo talento.
    Não desista da sua arte e do que vc ama. E não deixe que os imbecis te derrubem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, é bom saber que não estou sozinha nessa, e pode deixar que não irei desistir, apenas sinto que é preciso mudar como me relaciono com a internet =)

      Excluir
  9. Mary, vc disse mta coisa que eu tbm ando pensando e sentindo. Escrevendo isso vc falou por mim tbm. Parabens pela coragem e pelo talento.
    Não desista da sua arte e do que vc ama. E não deixe que os imbecis te derrubem.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Oi. Seu trabalho é incrível e como tudo na vida precisa haver demarcações e limites para ser respeitado, estou falando legalmente mesmo. É quanto a pressão, todos precisamos de um tempo as vezes para sairmos desse mundo de expectativas das pessoas. O ideal, sabemos, é a internet trabalhar em nosso favor e não nos tornarmos escravos das exigências dela. Mas sei o quanto na prática é difícil. No mais, não a conheço mas você parece incrível e talvez esse tempo com o mundo "real" seja necessário para recriar a si mesma e até o seu processo criativo. Mta força e td de melhor.

    ResponderExcluir
  12. Mary, no parágrafo: Comecei a me desligar um pouco... senti como se fossem palavras minhas. Há uns dias também estava me sentindo assim, aí resolvi quebrar a corrente da responsabilidade que eu criei, me afastei da internet por um tempo e passei a me sentir mais leve. Nesse período, quase parei de desenhar por que não via mais sentido nisso. Foi então que mudei meu foco, por isso hoje consigo respirar aliviado.
    Ser produtor de conteúdo é uma carga que pesa com o excesso de responsabilidade que vamos acrescentando a cada dia. E esse é o problema, o peso extra que vamos acrescentando.
    Minha gota d'água foi quando comecei a questionar a qualidade do que fazia, então o balde derramou e foi bem complicado. Estou me reconectando aos poucos, mas os vínculos que foram quebrados não vão mais se ligar.

    Só te desejo muita força, foco e fé! Você é muito foda, não consigo imaginar, produzir os conteúdos que produz (inclusive os quadrinhos) e ainda ter que dar conta de freela. É pesado, por que trabalhar sozinho, às vezes, é muito chato e desestimulante.

    Mas não fique desanimada, principalmente com rede social e comentário escroto. Gente babaca e irritante na internet tem aos montes, o importante é se manter centrada. E quando estiver de saco cheio, faça algo que não tem costume de fazer, quebre a rotina, vá caminhar, conhecer lugares e pessoas diferentes, ouvir uma música que nunca ouviria ou ler um livro que não leria. Não tem remédio potente suficiente para curar como essas pequenas atitudes.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Mary, não sei se ajuda, mas você é uma fonte de inspiração pra mim. Aprendo demais com você, inclusive com esse tipo de post. Não acompanho muitos blogs, apesar de também ter um com o único intuito de ajudar outros pintores ou aspirantes a isso. Acho que tomar consciência dos malefícios da web já é meio caminho andado. Sobre a negatividade, tente apenas ignorar. Eu sei que não é fácil, mas pense bem: alguém que se dedica a gastar tempo (algo tão precioso) para deixar outra pessoa triste, não merece atenção, e sim pena. <3 Ass: Ketllyn Fernandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela força! Acho que preciso mesmo de um tempo fora pra poder voltar mais renovada =)

      Excluir
  14. Mary, não sei se ajuda, mas você é uma fonte de inspiração pra mim. Aprendo demais com você, inclusive com esse tipo de post. Não acompanho muitos blogs, apesar de também ter um com o único intuito de ajudar outros pintores ou aspirantes a isso. Acho que tomar consciência dos malefícios da web já é meio caminho andado. Sobre a negatividade, tente apenas ignorar. Eu sei que não é fácil, mas pense bem: alguém que se dedica a gastar tempo (algo tão precioso) para deixar outra pessoa triste, não merece atenção, e sim pena. <3 Ass: Ketllyn Fernandes

    ResponderExcluir
  15. Mary, não te conheço pessoalmente, mas li seu texto e me deu uma vontade muito grande de te dar um abraço!!! Acho qie entendo seu sentimento e estou sentindo o mesmo, quase....se vc gosta de natureza, te sugiro que tire pelo menos um final de semana para passar entre o verde, cachoeiras ou no mar!! Pra mim ajuda bastante a me sentir plena e achar soluções. Seu trabalho me inspira bastante!!

    ResponderExcluir
  16. Você me ajudou muito vendo seus vídeos, me inspirou demais, e agora me ajudou com seu texto! Estava sentindo algo quw não conseguia identificar e nunca pensei o poder que a Internet tem sobre nós! Mary espero que essa fase passe, que tudo se renove, vc é uma artista que inspira, ensina e nos faz refletir só ré muitas coisas! Força, foco e fé sempre! Acho que o mais importante que seus conteúdos é a sua felicidade! Sou grato a você por tudo quw nos ensinou! e espero ver vc numa nova fase! Momentos difíceis todos nós temos, o importante é aprender com eles! Gde bjo! e muito obrigado!

    ResponderExcluir
  17. Nao sei se voce vai ler aqui mas eu descobri voce num grupo do amino arte faz poucos dias e depois de ler esse post eu posso dizer que voce nao ta sozinha nesse barco! Eu abandonei instagram/deviantart etc porque eu nao aguentava mais esse negocii de quem tem mais favoritos/watchers/seguidores, quem tem mais """talento""", materiais mais caros, sendo que muitas dessas pessoas fazem fakes pra se dar like/favorito e colovam filtro ou photoshop pracfoto parecer mais "profissional" e after effects nos videos, sem contar que tem gente que pensa que numero é sinonimo de qualidade. Eu nao aguentava mais no instagram gente que nao dava a minima pra desenho me seguindo com segundas intenções (o famoso "eu te sigo agora voce tem que me seguir tambem") e outras fingindo ter a vida perfeita e "talento" nato, acabou que ha uns 2 meses eu finalmente fechei tudo e me sinto livre! Eu sinceramente acho que se existe uma coisa que nao vale a pena é fama na internet porque a maioria das pessoas não ligam pro seu trabalho e só querem o seu lugar no sol e depois de poucos anos voce se torna praticamente irrelevante em seja qual for a rede social. Muito melhor a gente ser livre e fazer o que gosta

    ResponderExcluir
  18. Fica assim não, por favor.
    Liga o foda-se e só viva um pouco mas sem ligar pra "opinião" alheia.
    Adoro sua arte ♡

    ResponderExcluir
  19. Mary, a internet é tóxica sim. Minhas aspirações e desejos pessoais e profissionais acabam sendo ofuscadas pelo poder da internet. Tenho me mantido preso a coisas fúteis como jogos online, redes sociais, etc. Mas, foi através de você e de outros artistas, designers e quadrinistas brasileiros independentes que me motiva a sair da minha bolha de conforto e a lutar a fim de ver meus trabalhos se tornando algo físico e palpável. Tire um tempo para refrescar a mente e colocar tudo em ordem. Você sairá dessa fase tenho certeza! Força!! Estamos com você!!

    ResponderExcluir
  20. Eu também estou fazendo a mesma coisa:/ mais me sinto só quando vou tentar conversar com meus amigos eles nem me respondem porque não respondo eles ninguém entende que as redes sócias me faz mal dizem que é frescura

    ResponderExcluir
  21. É estranho como a Internet invade a vida das pessoas, mas o modo que você usou foi realmente correto. Muito obrigado por ter me ensinado a como pintar com as tintas da copic, e por vir mostrando várias técnicas de desenho. E a respeito das redes sociais, realmente tenho que concordar elas realmente atrapalham muito, não se tira proveito delas.você é uma pessoa muito inspiradora, e só precisa de resiliência, apesar de ser algo difícil de lidar, ainda precisa descobrir o que está causando isso. A internet as vezes se torna um monstro de sete cabeças... E um bom jeito de solucionar esse mistério pode ser uma pequena "Desintoxicação da Internet" mas continue firme, vc batalhou muito e é muito necessária. Descubra, pegue um Chicote e dome essa fera.rsrs Abraços

    ResponderExcluir
  22. Mary eu admiro muito seu trabalho, te acho uma fofa gosto de desenhar por hobby, pois me acalma. penso que isso também de desestre-se. isso da internet estar te fazendo mal eu acho que muita gente esta se sentindo assim, mas poucas pessoas se atentam a isso. conversar com pessoas verdadeiras que pare para te olhar nos olhos ajuda muito. gosto dos seus videos pois você parece que ainda faz parte do nosso mundo real sabe, eu não assisto tv a um bom tempo acho que já deu oque tinha de dar e passei a ver o you tube e parece que o you tube esta virando a tv com baboseiras e mesmices....

    ResponderExcluir
  23. Mary eu admiro muito seu trabalho, te acho uma fofa gosto de desenhar por hobby, pois me acalma. penso que isso também de desestre-se. isso da internet estar te fazendo mal eu acho que muita gente esta se sentindo assim, mas poucas pessoas se atentam a isso. conversar com pessoas verdadeiras que pare para te olhar nos olhos ajuda muito. gosto dos seus videos pois você parece que ainda faz parte do nosso mundo real sabe, eu não assisto tv a um bom tempo acho que já deu oque tinha de dar e passei a ver o you tube e parece que o you tube esta virando a tv com baboseiras e mesmices....

    ResponderExcluir
  24. Olá Mary, estou acompanhando o seu trabalho a mais ou menos um ano, e te digo você muito boa no que faz, estou lendo esses dias a sua obra Vidas Imperfeitas, e só tenho a elogiar, a evolução do traço e como a história tem um aspecto humano e verdadeiro, é incrível!. Sobre isso que você escreveu te aconselho a criar consciência da sua capacidade, quando isso acontece, você começa a separar aqueles comentários que são úteis e aqueles que são apenas fruto da maldade humana e inveja... evite discutir com esse tipo de gente na internet, até mesmo pq a internet é o pior lugar para uma discussão, a distancia faz com que as pessoas não se conscientizem que estão erradas. E cuidado! isso é vestígio de depressão, não se entregue a essas energias negativas. Não sei se você tem alguma crença, mas desejo que Deus esteja do seu lado lhe dando forças para continuar a trabalhar com sua arte que é digna de elogios...

    ResponderExcluir