domingo, 31 de janeiro de 2016

Tea Time



Este post faz parte do Projeto Ilustra da qual estou participando. Todo mês tem um tema diferente a ser trabalhado e postado aqui. O tema desse mês é "Chá da tarde". Não foi definido um padrão do que deveria ser feito, na verdade ficou bem livre pra cada um trabalhar do jeito que quisesse. Por alguma razão minha criatividade foi drenada esse mês e não consegui fazer nada muito diferente do que já faço, mas a boa notícia é que rendeu mais um vídeo de speed painting pra vocês!



Quando eu era criança, eu associava chá com algo ruim. Quando eu ficava doente, minha mãe costumava fazer um chá de limão com própolis e alho, ou seja, ficava uma delícia! #sqn. Mas pelo menos depois desse "combo anti-gripal" eu já sentia meu corpo melhor. Comecei a me aventurar no mundo dos chás e cafés depois de adulta porque o Doug praticamente me obrigou mas a verdade é que com o tempo passei a apreciar um belo chá, principalmente porque ajudava minha digestão, dores de estômago e era uma bebida mais leve que o café pra esquentar no inverno.



Hoje, chá quer dizer aconchego, sossego, um momento de paz e relaxamento. É aquela bebida que você quer manter perto de você enquanto trabalha. Quente no inverno, e gelado no verão. Sabores para todos os gostos. Meu preferido é o de morango, quando quente, porque combina o doce com o azedinho, perfeito. Já gelado, amo o chá branco com lichia.

Agora confiram o speed painting do desenho:



E aí, qual seu chá preferido?

-----------

Confiram o post das outras participantes do Projeto:
  1. Yasmim Barroso
  2. Bell Mityshu
  3. Bruna Morgan
  4. Luiza Abend
  5. Lidy Dutra
  6. Bruna Karnauchovas
  7. Dessamore (Andressa Silva)
  8. Malena Flores
  9. Kris Efe
  10. Erika Tinagero
  11. Camila Nogueira
  12. Ana Luiza Nogueira
  13. Carla Nascimento
  14. Juliana Rabelo
  15. Ana Blue

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

TAG: Music Challenge: Qual é a música?

Estou falando diretamente do túnel do tempo! Brinks.

Nos últimos tempos tenho trabalhado tanto mas tanto que mesmo com ideia e conteúdo pra fazer post, nunca consigo realmente parar pra escrever, por isso estou escrevendo alguns posts e agendando pra sair durante a semana! =O Bom, melhor que floodar o feed de vocês, né? (aliás, vocês já seguem meu feed??? é fácil, é só se cadastrar no menu da esquerda "assine a newsletter" que você vai receber por e-mail sempre que eu postar por aqui, ou pelo bloglovin, caso tenham cadastro lá).

Mas voltando ao que interessa. No meio da loucura sem fim que tem sido minha vida, decidi fazer um vídeo de TAG, uma coisa mais divertida e descontraída. E convenhamos, eu adoro esses joguinhos de adivinhação, sou viciada neles! Eu costumo fazer esse tipo de coisa mesmo quando não é pra gravar vídeo pra vocês, então já sabem... Dessa vez vamos falar de música. Olha, já vou avisando que sou péssima nisso. Minha memória auditiva é mais emotiva, então nem sempre associo músicas aos seus cantores. Enfim, assistam pra ver se fui bem ou não! Algo me diz que tem Mary cantando e dançando nesse vídeo *o*

Esse tipo de vídeo sai bastante do escopo do meu canal, mas faz parte da área de VLOGS justamente por ser mais lúdico e/ou pessoal, pra vocês me conhecerem melhor e tals xD

Enfim, menos conversa e mais vídeo pra vocês!




Gostaram? Não se esqueçam de assinar o canal, é só apertar o butão vermelho aqui embaixo:


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Um pequeno grande desabafo: HATERS GONNA HATE



Toda vez que fico com raiva, triste ou revoltada com alguma coisa, minha primeira reação é começar um "textão" no facebook. Na maioria das vezes acabo apagando ou não publicando, porque nunca leva a nada, e só me faz sentir idiota. Também penso em gravar um vídeo falando sobre o assunto, mas acho que não ficaria do jeito que eu gostaria que ficasse. Na maioria das vezes, isso passa, mas dessa vez decidi escrever um post, porque quando escrevo, além de me sentir melhor, vou vendo que muita coisa que eu tava sentindo era besteira e vou me recompondo. Então, basicamente, a única razão de eu estar escrevendo esse post é porque algumas coisas precisam ser ditas e esse é o melhor lugar pra que eu possa organizar as ideias.

Eu não poderia começar esse post sem dizer que eu entendo muito bem o que é ser criticado. Quando você se coloca no mundo, ou um trabalho seu, você está automaticamente colocando sua cara a tapa. É assim que as coisas funcionam. As pessoas vão dizer o que elas pensam, o que elas acham, e você não está imune. No começo, com o Vidas Imperfeitas, eu tive muita dificuldade pra encarar as críticas, e achava que estava sendo pessoalmente atacada (mesmo algumas vezes isso tendo acontecido sim!) mas depois aprendi a encarar as críticas como aprendizado. E também aprendi a filtrá-las. Aprender a lidar com críticas também é uma jornada de auto-conhecimento, porque você passa a confiar mais em si mesmo, e a verdade deixa de doer tanto - e todo o resto é facilmente descartado.

Mas esse post não é sobre crítica. Mas queria deixar claro que é por entender o que é ser criticado que eu sei diferenciar uma crítica de um achismo qualquer. Pessoas comentam, mandam e-mail e mandam inbox, falam o que elas querem, porque você está ali: é uma figura pública. Não é preciso ser famoso ou aparecer na Globo pra ser público, isso só quer dizer que você se expõe mais que as outras pessoas. Principalmente quando é um vídeo, porque as pessoas acham que só porque estão te vendo, elas já sabem quem é você, como é a sua vida, sua rotina, sua intimidade... 

Quem me acompanha há mais tempo sabe que eu me envolvo demais. Tudo o que eu faço, faço pensando em me conectar com as pessoas, que nada mais são do que eu mesma. Eu me vejo em muitos de vocês, leitores, seguidores do blog e do canal. Eu invisto meu tempo, meu dinheiro, meus anos de estudo, para trazer sempre um conteúdo legal. Ser blogueiro quer dizer apostar fichas no desconhecido, sem ter nada em troca, sem saber se estará ajudando alguém. Mas é ótimo saber quando ajudo, muda meu dia, meu humor, traz de volta o sentido pras coisas, sabe?

Grande parte do meu trabalho também é responder comentários em todas as redes, o máximo que eu puder. Eu gosto de fazer isso, em parte porque quero ajudar, em parte porque também sou expectadora e gosto quando respondem minhas perguntas ou comentários. É tipo um ciclo do bem. Bom, aí tem duas coisas: nem sempre tenho tempo pra responder TUDO, mas faço o que posso. Outra coisa, nessa minha jornada de ler comentários, sempre me deparo com os famosos HATERS. Algumas coisas são tão absurdas que a gente só ignora né? Teve casos em que era tão ofensivo que precisei apagar, mas foram pouquíssimas vezes. Eu não curto apagar comentários, acho que perde a autencidade do negócio. Mas então a gente chega naqueles comentários que a gente só se pergunta: por que uma pessoa se preza a isso? Só aparece lá e escreve qualquer merda que vem na mente com a desculpa de "é minha opinião".

Uma coisa que queria deixar muito clara é que apesar do meu canal ter um caráter arte-educativo por conta dos tutoriais e dicas, meu canal não é educacional. É um canal pessoal onde posto vídeos úteis para pessoas que como eu, sempre gostaram de arte e tem interesse em vestibular, cursos, etc. Então, eu queria entender mesmo porque algumas pessoas ficam chocadas e/ou ofendidas quando ouvem um palavrão nos meus vídeos. Sério?! Essa sou eu, aquela no vídeo sou eu, e apesar das edições, se você estivesse do meu lado conversando comigo, eu diria as mesmas coisas, e duvido que você ficaria chocado com um "caralho!". Vocês não fazem ideia de quantas vezes recebi um comentário do tipo, como se eu falasse muito palavrão mesmo. Fico até assustada, porque eu falo mesmo, mas passa longe, longíssimo de vááários canais de vloggers famosos. Porque fulano pode, e eu não? É porque "ele/a só fala abrobrinha mesmo"? Ou "ah, é um canal de humor/diversão"?

A pergunta que sempre fica entalada é porque as pessoas acham que por eu ser uma garota, por ser pequena e "fofa" (de acordo com terceiros, ok?) que só por causa disso, eu não posso me expressar livremente?! Sabe quando aquele familiar vinha falar pra você "não fala isso que é feio! você é menina!". Toda vez que vejo um comentário apontando isso, eu lembro dessa frase, e uma raiva cresce dentro de mim.

E o pior de tudo na verdade, é que apesar dos meus esforços, de investir meu tempo, meu dinheiro e meus anos de estudo para trazer sempre um conteúdo legal e relevante, as pessoas encanam com aquele "caralho" perdido no meio do vídeo, como se isso me definisse, ou definisse meu trabalho. Claro que não sou perfeita, sou humana, e erro como qualquer um. Eu também não acredito que crianças são demônios (essa é de um vídeo em que inocentemente falo que crianças são como demônios, depois de ter feito estágio em escola - depois decidindo por largar a licenciatura, numa escolha minha e apenas minha). Pode ter sido uma escolha infeliz, uma expressão idiota, mas não sei o que leva uma pessoa a acreditar realmente nisso, ou mandar inbox falando que não tenho Jesus no coração e que vou queimar no inferno. Quem é você? Você assiste um vídeo meu, dentre tantos outros, dentre um universo inteiro de Mariana que existe em mim, e se vê no direito de mandar esse tipo de mensagem, desrepeitando descaradamente meu direito de escolha religiosa/espiritual.

Você pode não gostar do que eu falo. Qualquer um tem o direito de não gostar, de odiar, de discordar, enfim... O que eu quero dizer é que: eu não faço vídeo pra que as pessoas gostem de mim, ou do que eu faço, eu apenas faço vídeos. Se as pessoas gostam deles, ou acreditam neles (e em mim), eu sou grata por elas. Quero que essas pessoas saibam que sem elas, é verdade, eu não teria ido tão longe, mas eu não faria algo que não concordo, ou seria outra pessoa só pra agradar qualquer uma dessas pessoas. Não. Então se você não gosta, discorda do que eu faço ou digo, apenas vá embora. Feche o vídeo, pare de seguir, e vida que segue. Tão simples.

Eu gostaria de acordar um dia e apenas não me importar com essas coisas. Eu poderia simplesmente parar de ler e responder comentários, mas não é isso que eu quero. Não é essa a minha proposta, apesar da ideia ser um pouco mais reconfortante. É triste saber que quem precisaria ler esse post jamais chegará a lê-lo, porque quem não se importa o bastante não chega no final de um post quilométrico, assim, de graça. São essas as pessoas que se prendem no artificial, na facilidade das informações fáceis, nas opiniões rasas e superficiais disfarçadas de crítica. Se você chegou até aqui, por favor, não seja essa pessoa. E é claro, meus sinceros e profundos agradecimentos.

Até a próxima, e espero que dessa vez, falando de coisas boas. =)


Wishlist de Janeiro


Decidi começar algumas sessões diferentes aqui no blog, começando por uma Wishlist! Irei colocar na lista tudo que tô querendo ou tô precisando, e não tem muito critério de tema, vai ser de arte, moda, beleza, acessórios, equipamentos, etc. Bora!

1. Drawing Gum da Pébéo: vi uma postagem no blog da Juliana falando dessa máscara de aquarela e gostei da resenha dela. Só usei máscara da Corfix e odiei por ser muito grossa e rasgar o papel. Essa da Pébeo parece ser mais líquida, o que já resolve boa parte do problema. Vai estar na minha próxima compra artística com certeza! Ah! E assim que testar, faço resenha tambémm!

2. Kit de Aquarela da Lukas: já vi muita gente falando bem das aquarelas da Lukas e por isso ela está na lista! Não sei quando vou ter a grana pra compra-la tão cedo, ainda mais levando em conta que tenho um estoque razoável de aquarela. Mas quem sabe um dia! xD

3. Copic Markers: só pra não dizer que nunca usei copics, comprei UMA caneta, mas sinceramente não sei o que fazer com ela. Acho que no mínimo é preciso ter umas 6 cores pra brincar. Assim que eu tiver alguma verba, irei investir nelas (rezando por dólar abaixar...)

4. Microfone Boom: tô precisando urgentemente de um microfone pra gravar meus vídeos do canal, e esse modelo que vai acoplado na própria câmera parece ser ideal porque ele capta mais som direcional que ambiente. Vai ser meu próximo investimento pro canal! (Esse mês troquei minha câmera por um modelo com foco automático E TO CHORANDO DE FELICIDADE MEU DEUS COMO ISSO ME AJUDA)

5. Máscara de cílios da Quem disse berenice: sô menininha e gosto de testar umas maquiagens! Não uso sempre, só batom e máscara pra dar um UP, e vi muita gente falando bem dessa. Comprei esse mês um batom líquido da linha matte da marca, que também é novidade, e nossa, adorei! Comprei uma cor mais escura que estava acostumada, me senti uma bruxinha, mas é bom mudar também :3

6. Saia de camurça da C&A: sabe aquelas decisões erradas? Eu estava lá na loja, experimentei a saia e pensei "ah, não preciso de mais uma saia" mas ela ficou na minha cabeça por muito tempo e quando voltei não tinha mais. Achei esse modelo uma graça, e vou ver se acho nos brechós da vida haha.

7. Bota over the knee: faz teeeeeeeempo que tô querendo comprar uma bota over the knee (pra quem não sabe - acima do joelho) mas comprar sapato pra mim é sempre uma saga, nada nunca serve ou não tem meu número. Evito comprar sapato online justamente por ser difícil acertar, mas nunca achei uma botinha nesse estilo em lojas convencionais ou por preços mais acessíveis... maybe some day (ps. esse modelo também é de camurça!)

8. Soft box: da série "equipamentos de gravação que preciso urgente". Ok, a soft box é menos importante que o microfone, porque consigo boa iluminação de dia, mas seria ótimo poder gravar a noite com elas, ou não ter que me preocupar com sombras.

Espero que tenham gostado do post! Não se esqueçam de comentar e de assinar o feed do blog (no menu da esquerda!)




A lojinha está de volta!!



Aeee! Depois de um finald e ano intenso, com praticamente todo meu estoque zerado, finalmente consegui retomar a minha loja online da onde parou. Vou repor o estoque aos poucos, e por enquanto temos algumas novidades, dentre elas os mini posters "Minas Fodas", que é um kit com 4 mini posters de personagens fodas! São elas: Hermione (Harry Potter), Rey (Star Wars), Katniss (Jogos Vorazes) e Ramona (Scott Pilgrim).

Curtiu? Compre aqui.

Além disso tem mais duas opções de posters em tamanho A4:

Curtiu "Owl"? Compre aqui.

Curtiu "Rey"? Compre aqui.

Sei que alguns posters não voltaram pro estoque, mas estou analisando se vale a pena recolocar, levando em consideração que alguns modelos saíram muito pouco. Quanto ao Vidas Imperfeitas, estou tentando entrar em contato com a editora novamente para conseguir mais revistas, mas espero que até fevereiro eu tenha elas em mãos. Veremos.

Como sabem, tudo pra mim é um processo, né. Dou conta de várias coisas ao mesmo tempo a ponto de duvidar da minha sanidade mas o importante é que está tudo caminhando mesmo que devagar. Não se esqueçam de sugerir o que vocês mais gostariam de ver na loja, isso me ajuda bastante! =)


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Workshop de Aquarela [23/01/2016]


No sábado passado rolou mais um Workshop de Aquarela. A cada edição sempre aprendo alguma coisa, levo alguma bagagem comigo que me faz repensar minha didática e meus métodos. O feedback dos alunos é algo que me motiva muito, pois sinto que estou fazendo a diferença, e no mínimo cada um deles teve ao menos uma tarde agradável ao lado de pessoas que tem os mesmos interesses (mesmo cada um sendo muito diferente do outro!).




Interessou? Visite o menu Cursos para saber melhor quais são os cursos que ministro, qual o conteúdo, etc. Caso queira acompanhar tudo de perto, faça parte do grupo do facebook, onde posto em primeira mão vagas para novas turmas e outras novidades. Para mais informações mande um e-mail para: marycagninworkshop@gmail.com


quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Minha primeira tattoo!


Aconteceu em menos de uma semana: decidi que iria fazer minha primeira tatuagem, defini o que seria, fiz o orçamento com a tatuadora, marquei, fiz. Algumas coisas na vida são como tirar o band-aid, você sabe que vai doer menos se não hesitar. Fazia um bom tempo, claro, que estava pensando na possibilidade, mas pra variar, não conseguia decidir o que tatuar. Trabalhei num desenho por um tempo até me tocar que não era um desenho meu que eu queria tatuar. Não é por nada, mas pra quem é artista ou trabalha com ilustração, essas coisas param de fazer sentido...

Percebi que no fundo, fazia mais sentido marcar na minha pele algo que fosse significativo, algo que eu fosse olhar todo dia e não me cansar (mesmo sabendo que isso poderia acontecer, sim, um dia...). Cheguei a conclusão que tinha que ser algo relacionado a arte, uma frase que chegasse o mais perto de definir não o que eu sou (porque pessoas mudam, o tempo todo) mas a minha essência.




Talvez o fato de ter demorado quase 26 anos pra decidir me tatuar - apesar do medo eminente de algo que ficaria ali para sempre - é que eu tinha vivido o bastante pra não me arrepender de fazer isso. Não é ter a certeza, porque como eu disse, pessoas mudam. É apenas aceitar que não existe momento certo, e que eu não me arrependeria de algo feito, pensado ou decidido com o coração. Brega, eu sei, mas esta sou eu.

Nos últimos tempos tenho praticado muito o desapego. A Mariana mais jovem tinha medo de enjoar, de se arrepender, tinha medo de algo que era definitivo, marcado ali na sua pele pra todo mundo ver. Mas então, cresci, e pensei: medo de que?! A vida é curta demais pra ter medo de viver certas experiências.




Então tenho feito muitas coisas que pra quem vê de fora parecem muito impulsivas (e talvez sejam mesmo) mas é que eu cansei de esperar. A vida está lá fora, só falta a gente se jogar. Todo bom ariano deve saber que tem coisas que só fazem sentidos quando vividos dessa forma. Você decide, faz, PAH. Claro que tive momentos de dúvida, recaídas. Me peguei imaginando uma cena em que teria me arrependido de ter feito, em que cansaria de olhar pra ela. Senti um pequeno desespero. MEU DEUS, o que estou fazendo??? Mas passou. É fácil ficar na sua zona de conforto, mas eu não desistiria assim tão fácil. E olha só, fazem 24h que estou com ela e cada minuto que passa, mais sinto que não, não irei me arrepender.

Se você está pensando em fazer uma tatuagem, se pergunte do porque você não deveria fazê-la? Algumas pessoas vão te perguntar "mas por que fazer isso?". A questão é porque não. A minha profissão não exige ter a pele limpa (e caso exija, existem maquiagens que escondem), minha família não vai me deserdar (todo mundo já sabe que sou artistinha, rebelde, diferentona hahah). Não precisa ter porque, se você quer, acha bonito, não importa a razão: faça. Se estiver com muito medo ou dúvida, converse com seus amigos, família, com um tatuador de confiança. Quem sabe, comece pequeno. Doer, dói. Mas dói no limite do suportável, senão ninguém estaria tatuando, né, miga? Eu tatuei numa região do braço bem sensível, perto da área onde a gente tira sangue, mas não morri. Mas caso você faça, e se arrependa, me isento de qualquer culpa nessa, hein?! Hahahaha. Brincadeira, sempre tem laser pra remover =X

Pra terminar, fiquem com o VLOG que gravei desse dia:





O verdicto eu já esperava: quando e onde vão ser as próximas??? Hahaha. Já estou com umas ideias...

Quem fez a minha tatuagem foi a Elisa Nobre, que eu conheci através de amigos, e me senti super segura de fazer com ela. Isso é bem importante também. Conheça o trabalho do profissional, o traço, a pegada, converse bastante e tire todas as dúvidas. A experiência é muito melhor quando você confia na pessoa que vai te tatuar. Lembrando que os cuidados "pós" também são importantes para uma boa cicatrização, por isso siga as instruções direitinho.

Espero que tenham gostado desse post! E aí, você já tem tattoo, ou gostariam de fazer alguma? Me digam qual nos comentários! =D

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Picnic Ilustrado II

Oi pessoal, tudo bem? Eu sei, tenho postado muito pouco ultimamente... Chega determinado momento da vida, que você se compromete com tanta coisa que já nem sabe mais como vai conseguir dar conta de tudo... mas isso já é basicamente a história da minha vida, né?

A verdade é que eu tenho trabalhado muito, o que é bom, é ótimo, não vou reclamar. Estamos todos vivendo essa época de crise filhadaputa com os preços de tudo lá nas alturas (ontem fiquei sabendo que a aquarela de 12 cores da Cotman está mais de 300 dilmas!! O_O). Então a vida segue, e eu devo agradecer por conseguir me manter esse tempo e fazer as coisas que eu gosto.

Eu também estou correndo (quando posso) pra reabrir a minha loja online. Meu estoque esgotou no final do ano, e estou esperando mais edições de Vidas chegarem da editora, e também preciso repor todos os posters e escolher algumas aquarelas originais pra colocar lá. Isso tudo leva tempo, mas espero que eu consiga reabrir a loja até o final de Janeiro.

Ah, e ontem foi o nosso encontrinho, o Picnic Ilustrado, que aconteceu lá no parque Villa Lobos. Pra começar, ontem foi o primeiro dia de sol em diiiias, ou seja: todo e qualquer paulistano saiu de sua toca pra ir pra onde? PRO PARQUE VILLA LOBOS, DÃ. Todos os estacionamentos estavam lotados, com filas quilométricas de carros querendo estacionar. Estava quase entrando em desespero, pensando em voltar pra casa e pegar o trem, mas consegui uma dica de vaga em ruas próximas, e deu tudo certo. Estava um dia lindo mesmo, e eu fiquei bem feliz que bastante gente apareceu. Conheci gente nova e revi outras, desenhamos, conversamos, comemos. Precisamos fazer isso mais vezes! =)



Quando cheguei, encontrei duas pessoas. Eu estava atrasada porque não conseguia estacionar... mas pelo jeito não fui a única. O parque tem muitas entradas e não o conheço direito, mas conseguimos nos achar.





Fiquei realmente surpresa do quanto meu cabelo estava ~ruivo~ ao sol =O




Galera já se reunindo pra desenhar!








De repente, quando olho pra trás, os meninos já estavam em cima da árvore! O papo parecia bom... hahaha!



O ganhador da minha aquarela! Espero que ele tenha gostado xD

Muito obrigada a todos que foram! E nos vemos na próxima ;D



terça-feira, 5 de janeiro de 2016

AGENDA DE FÉRIAS [Cursos + Encontrinho]

Queridos, como vocês estão? Espero que tenham sobrevivido ao final de ano, rss. Aproveitei essas duas semanas pra fazer um monte de nada e me recuperar do ano itnenso que foi 2015. Enquanto isso, decidi organizar a agenda de Janeiro e aproveitar que ainda tem uma galera de férias pra abrir novas turmas de Workshop e fazer um encontrinho. YAY! Vai ter uma nova turma de aquarela pra iniciantes, uma de teoria das cores, e a outra é uma novidade, um workshopd e retrato!! Interessou? Vem conferir a info completa:

CURSOS






WORKSHOP DE AQUARELA

Nesta oficina, o aluno terá contato com alguns princípios básicos da aquarela, além de técnicas desenvolvidas por mim. A aula é dividida entre uma parte teórica e outra prática, onde os alunos irão aplicar as técnicas aprendidas, tudo isso com o meu acompanhamento exclusivo.


Este workshop é recomendado para:

-Alunos iniciantes que desejam aprender técnicas de aquarela
-Alunos que já pintam mas desejam aperfeiçoar sua técnica
-Alunos que desejam estar num ambiente criativo e trocar experiências

Este workshop não tem pré-requisitos. Não é preciso saber desenhar ou pintar, apenas ter vontade de aprender.

Materiais necessários: 
clique para ler




WORKSHOP DE TEORIA DAS CORES

Nesta oficina, o aluno terá contato com alguns princípios básicos da Teoria das Cores. A aula é dividida entre uma parte teórica e outra prática, onde os alunos irão aplicar a teoria em exercícios propostos, tudo isso com o meu acompanhamento exclusivo.

Este workshop é recomendado para:

-Alunos iniciantes que desejam aprender os princípios básicos de Teoria das Cores
-Desenhistas, ilustradores, designers e afins que desejam se aperfeiçoar
-Alunos que desejam estar num ambiente criativo e trocar experiências

Este workshop não tem pré-requisitos. Não é preciso saber desenhar ou pintar, apenas ter vontade de aprender.

Materiais necessários:

-Lápis, borracha e papéis para rascunho
-Pincéis macios
-Godê, copo plástico e pano para limpeza
Obs. Outros materiais como papel e tintas para os exercícios serão fornecidos por mim





WORKSHOP DE RETRATO


Nesta oficina, o aluno aprenderá como aplicar as técnicas de desenho básico na criação de um retrato, de forma sensível e expressiva, sem perder a autenticidade do traço de cada um. A aula terá muita prática a partir de demonstrações minhas, tudo isso com o meu acompanhamento exclusivo.

Este workshop é recomendado para:

-Alunos que desejam aperfeiçoar sua técnica
-Alunos que desejam estar num ambiente criativo e trocar experiências

Pré-requisito: Conhecimentos básicos de desenho.

Materiais necessários:

-Papel sulfite e Canson (mínimo 120g/m²)
-Lápis 2B e 6B
-Borracha e/ou limpa-tipo
-Régua, compasso e esfuminho
Obs. O aluno é livre para trazer outros materiais com os quais se sinta a vontade, como lápis de cor, giz pastel, aquarela e outros, mas não é obrigatório


INSCREVA-SE:


Para se inscrever basta enviar um email para marycagninworkshop@gmail.com com a data e workshop escolhido.


ENCONTRINHO




O primeiro encontrinho foi tão legal que ganhou uma segunda edição!

Bora desenhar, comer uns quitutes e sermos felizes juntos?!

QUANDO E ONDE?

Dia 17/01, um domingo, a partir das 14h no Parque Villa Lobos.

Vamos nos encontrar na frente da entrada principal e então buscar um local bacana pra sentar e desenhar! Quem não puder chegar as 14h mas for depois, é só ficar de olho no meu twitter que irei postar nossa localização, ok? (@marycagnin) ou fala comigo por inbox pra gente combinar melhor.


O QUE LEVAR?
-material de desenho livre
-se cada um trouxer uma porção de alguma comida, podemos dividir entre todos! a bebida é por conta de cada um!
-toalha de picnic pro encontro ficar bonitão! kkkkk (esse é pra quem tiver, ok?)

E TAMBÉM estou preparando uma ~surpresinha~ pra quem for no evento! :B

Se ainda tiverem dúvidas deixem nos comentários!

Eu vejo vocês por lá!! *-* /o/

domingo, 3 de janeiro de 2016

Tag: 15 Coisas Legais que Aconteceram em 2015

As lindas Ana Blue e Juliana Rabelo me marcaram nessa TAG, e apesar do post anterior ter sido muito parecido, onde fiz uma retrospectiva do ano de 2015, decidi responder essa TAG fazendo um esforcinho pra me lembrar de algumas coisas diferentes. Vamos lá?




1. Saí do país pela primeira vez

Tem sempre a primeira vez pra tudo, não é? A viagem para Machu Picchu foi apenas o marco inicial de muitas viagens que eu gostaria de fazer. Desde que comecei a trabalhar como freela, minha missão tem sido viver de uma forma mais livre, vivendo experiências diferentes que apenas este estilo de vida permite.

2. Meu canal do Youtube cresceu lindamente!

O canal vem crescendo bastante desde que começou mas foi em 2015 que o negócio ficou sério! Alancei a incrível marca de 10 mil assinantes, com direito a sorteio de uma aquarela original, e hoje o canal está com cerca de 16 mil assinantes e crescendo! Hoje o Youtube, que era só um hobbie, um lugarzinho onde às vezes eu postava alguns videozinhos de aquarela, virou parte do meu trabalho, e uma grande prioridade.




3. Comecei a ministrar Workshops de Aquarela

Com o sucesso dos vídeos no meu canal, finalmente me senti confiante para trazer as aulas pro mundo real, ensinando essa técnica maravilhosa que é a aquarela! Não só abri turmas em vários lugares de SP como ministrei um workshop em Curitiba, graças a ajuda de vocês. Neste ano, se tudo der certo, quero levar o workshop para outras cidades.

4. Dei aulas particulares

É sempre uma experiência nova e enriquecedora começar as aulas com um novo aluno. Sempre aprendo uma coisa diferente, uma nova forma de ensinar, e também, de aprender. Eu acho que não existe uma coisa sem outra.




5. Comecei um novo projeto de quadrinhos, o Black Silence

Ok, ok... Já falo desse quadrinho faz um tempo, mas quem me acompanha já sabe que é um projeto diferente de tudo que eu já fiz e eu encontrei muitas dificuldades e desânimo durante o processo, mas em 2016 pretendo finalmente voltar a produzir com força total e fechar essa edição.

6. Lancei a edição EXTRA de Vidas Imperfeitas (web)

Foi ótimo revisitar o universo de Vidas, e ainda por cima, falar sobre personagens que não consegui explorar no arco original. Quem aqui já leu? Se não leu está perdendo!! U_U
Leia na íntegra aqui.




7. Fiz um bate-volta pro FIQ 2015

Conheci e revi muita gente linda e incrível, comprei muitos quadrinhos autorais e pude conferir de pertinho o cenário de quadrinhos no Brasil crescer como nunca antes.

8. Participei do projeto Heroica, no FIQ 2015

No FIQ 2015, fui convidada a participar do Heroica, em que 5 ilustradoras fizeram a releitura de 5 super-heroínas clássicas, dando a elas nova personalidade, nova história e novo figurino, de acordo com o que acreditássemos que essas personagens deveriam ser. E então, além da exposição do nosso processo criativo e dos trajes que criamos, havia uma cosplayer vestindo esse traje e incorporando nossas personagens circulando pelo evento.



9. Desapeguei de tudo que não me fazia bem (só ficou o que importa!)

Em 2015 fiz uma série de arrumações nos meus armários e na vida, e em determinado momento, me livrei de tudo o que só estava fazendo peso e não tinha utilidade alguma. Doei muita roupa e material artístico, vendi outras no Enjoei, e o resto foi pro lixo. Isso mesmo: lixo. Como a gente guarda lixo! E como é gostoso deixar todo esse peso ir embora, abrindo espaço para que as coisas novas venham.

10. Passei a comprar de pequenos produtores/artesãos

Quando comecei a comprar "de pessoas para pessoas", pequenos produtores e/ou artesãos, artistas, costureiros, etc, me dei conta que estava comprando de uma pessoa que precisava daquele dinheiro para viver e não estava alimentando o bolso daqueles que já são ricos, e pior: utilizam muitas vezes de mão-de-obra escrava para produzir seus produtos. Muita gente acha que é mais caro, que demora mais, mas a verdade é que acabamos invertendo valores. Não vivemos num mundo ideal, mas são as pequenas coisas que fazem a diferença.


11. Aprendi a dizer NÃO

Talvez aprender a dizer não seja uma das coisas mais difíceis e ao mesmo tempo mais importantes na nossa vida, e um divisor de águas. Não somos obrigados a aceitar um destino ou um desafio que nos é apresentado, algo que você sabe que apenas lhe fará mal.

12. Uma doença me fez perceber como NÃO deveria estar vivendo minha vida

São pequenas coisas, são sempre as pequenas coisas. Um dia, uma escolha errada, daquelas que você se arrepende até o último fio de cabelo. Mas não era nada demais, eu não estava matando, nem me drogando. A questão é que você cresce, e você envelhece, passa a se dar conta que seu corpo tem limitações, e não somos iguais aos outros. Não somos invencíveis. Eu espero nunca mais ter que passar por uma coisa parecida de novo, aquela sensação de que poderia ter um colapso a qualquer instante... Você percebe que algumas coisas precisam mudar.



13. Terminei um sketchbook de aquarela

Sou dessas que larga vários caderninhos começados mas nunca terminados, por isso, é um marco importante! Pra ver todo o conteúdo do caderninho, assista ao vídeo.

14. Trabalhei muito

Devo agradecer muito a todas as oportunidades de trabalho que tive nesse ano, tanto em ilustração, com meus freelas, quanto aos projetos pessoais que desenvolvi. Hoje me sinto muito mais confiante e estabelecida profissionalmente. Pronta para dar novos passos rumo ao infinito! xD

15. Me sinto velha

Há uns anos atrás, me sentir velha seria uma coisa ruim, mas pela primeira vez não é. Estranho, talvez, mas um estranho bom. Me sinto como se finalmente tivesse alcançado um grau de maturidade que me torna independente, tanto psicologicamente quanto financeiramente. E 2015 foi um ano em que trabalhei muito, e me sinto dona de mim mesma.


E então, esse é o saldo positivo de 2015. Claro que muita coisa estranha e ruim aconteceu, mas o importante é transformar tudo isso numa coisa boa, num aprendizado, numa arte.

Para esta TAG eu indico VOCÊ!

Não vou citar nomes porque sou péssima com isso e muita gente que conheço já respondeu ela, mas ficarei feliz se você respondê-la. Não se esqueça de deixar o link no comentário, assim posso conferir o post de vocês.

Eu desejo a você um lindo, incrível [e cheio de coisas boas] 2016.